Quarta-feira, 5 de Setembro de 2007

Anjo ou Demónio

Diamanda Galás de volta a Portugal

                                                                                                   (Foto retirada da Internet)

 

Dotada de uma extensão vocal prodigiosa e inigualável genialidade interpretativa, reconhecida por alguns e incomodativa para outros, a cantora norte-americana de ascendência grega Diamanda Galás, apresenta uma performance artística que se pauta, antes de mais, pela sua surpreendente originalidade. Cantora lírica e pianista, miss Galás opta por um caminho artisticamente tortuoso, musicalmente suicida ... em detrimento de um percurso mais fácil e de sucesso artístico garantido, como mais uma típica soprano ou, quem sabe, uma cantora pop/rock com um poder vocal acima da média. Defensora mordaz de direitos humanos, opõe-se à discriminação de diversas minorias, à hipocrisia de sistemas políticos vigentes, de posicionamentos religiosos, é sistematicamente polémica por contestar as injustiças da ordem instituída, mostrando categoricamente, na sua voz, na sua atitude, a expressão máxima dessa revolta e dos demónios que fervilham e se degladiam no seu interior. Segundo as suas próprias palavras "A minha voz é um instrumento de tortura para os meus inimigos, mas de forte inspiração para os meus amigos". A mim inspira-me porque sinto que expõe na força, no enervamento da sua voz a revolta que, com um ou outro reparo, também é a minha revolta, verbalizando e traduzindo em sons diversos, os gritos que silencio, que continuamente abafo no meu interior, que dia após dia e uma vez mais ... tento apaziguar. No fundo não será o que se passa com cada um de nós ?! Ela limita-se a exprimir o que primitivamente habita nas profundezas da nossa essência, que está lá, intacto e tão virgem e tão puro mas, que já há muito, nos habituámos por força de um complexo e múltiplo processo de socialização, a não deixar transparecer, vitimizando-nos uma e outra vez mais, ou quem sabe, enobrecendo-nos ... mas seguramente artificializando-nos.

                                                                                                   Brama  

sinto-me:
música: Defixiones, Will and Testament

publicado por Brama às 00:26
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. SIA Lentil

. Crato no "Mundo Perdido" ...

. Crato no "Mundo Perdido" ...

. Crato no "Mundo Perdido" ...

. Sem "papas na língua", co...

. Heartbeat Educação

. Que seria de nós sem um G...

. Como estamos em Ditadura ...

. Born Free

. MDNA, in full conviction!

. Cheikh N`Digel Lô e MDNA

. É assim que Shanghai pens...

. Aziza Mustafa Zadeh

. O tempo é escasso

. Só para relaxar um pouco ...

. Mulher que mata qualquer ...

. She give me money ... whe...

. Ainda estou vivo

. Because of You ...

. Inté

.arquivos

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Junho 2012

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Setembro 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds