Domingo, 25 de Novembro de 2007

Programa Novas Oportunidades

Na mira da desocultação de competências já adquiridas por todos os portugueses ... e da possibilidade de atribuir habilitações e cursos para todos, incluindo os que já tinham e ignoravam tal facto e como forma de alimentar o pernicioso esquema arquitectado pelo Ministério da (Des)Educação  de, à viva força, engrossar as estatísticas educativas portuguesas ... cá vai.

 


publicado por Brama às 23:35
link do post | comentar | favorito
|

Vou ausentar-me algum tempo

Pois é ...não estranhem se me ausentar por algum tempo. Se não comentar os vossos posts, não é por mal. Simplesmente sinto-me absurdamente cansado, tão cansado que só de pensar que amanhã recomeço outra vez, quase desespero. Mesmo descansando todo o fim-de-semana, isto está mesmo difícil, não consigo recuperar. Mesmo após dormir quase doze horas, a coisa não está a surtir efeito nenhum. Assim, a única solução é fugir aos blogs temporariamente. Isto é um vício tremendo ... estou sempre desejoso de escrever coisas, mil ideias me martelam o cérebro e vejo-me estupidamente sem tempo para escrever o que quer que seja. Isto tudo agravado do facto de querer comentar tudo o que os outros escrevem, o que também é muito difícil. Uns dias para descansar dos blogs. Abraços e beijos a todos.

 

                                                                                                                                      Brama


publicado por Brama às 23:28
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

É incrível o que a idade nos faz ...

Se quando tinha 15 anos me dissessem que, quando fosse mais velho, ainda saberia apreciar um bom vinho tinto ou até conseguir beber um whisky e que conseguiria efectivamente emocionar-me a ouvir cantar um fado, a minha reacção seria no mínimo uma risada bem disposta. Agora, passados todos estes anos, vejo que acompanhar um bom jantar, na presença daquelas pessoas especiais e com um bom vinho tinto, de preferência, é sempre um momento bem passado. O fado, como mais  elevada expressão da alma portuguesa, é também algo que se aprende a gostar e actualmente confesso que me emociona bastante.

 

                                                                                                                                            Brama


publicado por Brama às 03:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

E como passam 16 anos ...

No dia 24 de Novembro de 1991 deixou-nos para sempre Freddie Mercury, nome artístico de Farrokh Bommi Bulsara, vocalista e Rei da banda rock britânica Queen, vítima de Sida. Líder nato da sua banda, soberbo compositor e vocalista, carismático pela sua particular e forte presença em palco, partiu deixando evidente mácula nos nossos corações privados de tudo aquilo que ainda teria para  nos oferecer. Alguém que deu tanto à música merece ser sempre recordado e jamais cair no esquecimento.

E porque não é justo que tamanha força viva se possa apagar, aqui fica a minha homenagem.

 

                                                                                                                           Brama

 

 

Who Wants to Live Forever
Freddie Mercury Tribute - David Bowie & Annie Lennox "Under Pressure"
E nos derradeiros tempos finais do Rei ...
I'm Going Slightly Mad
 

 

 

sinto-me:
música: Freddie Mercury

publicado por Brama às 01:39
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Sábado, 24 de Novembro de 2007

E como um mal nunca vem só ...

Como se não bastasse a miséria humana em que se encontram as vítimas do ciclone no Bangladesh, eis que agora para reforçar o mau-estar daquelas e perante o desespero da fome, várias pessoas caíram de uma ponte quando em massa, correram em direcção a um centro de apoio que lhes oferecia arroz. A ponte colapsou, segundo as autoridades porque a tal instituição responsável pela oferta de alimento, não avisou das suas intenções, não sendo possível controlar a massa de gente que, esfaimada provocou a queda da estrutura que não suportou o peso de tanta gente. Parece que Deus se tem esquecido de muita gente de facto. Quando agradecerem a Deus a sorte que têm, é bom que se lembrem do pretensiosismo que isso implica ... a vossa vida não tem mais valor efectivo que a de qualquer outro.

 

                                                                                                                                   Brama

 

música: Jing Ying Soloists - Like waves against the sand

publicado por Brama às 14:23
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Novembro de 2007

I am 64% Open Minded ... Strange????

 

***You Are 64% Open Minded***


You are a very open minded person, but you're also well grounded.
Tolerant and flexible, you appreciate most lifestyles and viewpoints.
But you also know where you stand firm, and you can draw that line.
You're open to considering every possibility - but in the end, you stand true to yourself.

 

My question is:  _ Just 64%????

 


How Open Minded Are You?
http://www.blogthings.com/howopenmindedareyouquiz/

 

 

tags:

publicado por Brama às 15:40
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Terça-feira, 20 de Novembro de 2007

Tenho motivos para estar irritado!

O meu querido paizinho que tem sempre razão em tudo  e não comete quaisquer falhas, fez o especial favor de mais uma vez deixar o portão de casa da minha irmã aberto. Após avisos de décadas para ter cuidado e atenção para com os animais que, na iminência de um portão aberto, um novo mundo se afigura lá fora ... tem optado grande parte da sua vida pelo autismo. Não ouvir os outros, sobretudo quando com eles está em desacordo, sempre foi o seu lema. Claro está, como não poderia deixar de ser e como já tinha previsto há muitos anos, o nosso gato persa azul desapareceu. Tinha já doze anos, uns lindos olhos laranja e tinha recentemente sido operado a um cancro na boca. Aproveitou certamente um momento de distracção ou de claro desleixo do meu pai, norma diária para, movido pela curiosidade, dar a sua espreitadela. E claro está, está desaparecido há dois dias, nem sei que diga a isto mas estou atacado de uma raiva gritante. Ainda por cima, o animal é extremamente calmo e praticamente nem mia, dificultando tudo. Se ninguém o agarrou, não sobrevivirá lá fora porque é um animal caseiro. Tenho mesmo medo que tenha sido atropelado e estou seriamente preocupado. A minha irmã já fez buscas nas redondezas mas nada, absolutamente nada e para agravar ainda mais o estado das coisas, tem chovido torrencialmente o que é sempre facilitador nestes momentos. Estou absolutamente irritado e atacado de uma fúria indiscritível. Não, o gato não é o que se segue, mas é semelhante, a cor e os olhos idênticos.

 

                                                                                                                                      Brama

 

 


publicado por Brama às 22:28
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
|

Sonhos

 

 

A pedido do Paulo “Felizes Juntos” e de Thetalesmaker e já que vim a casa de fugida e o ambiente é apropriadamente nostálgico, sinto-me confortável, tenho uma janela aberta para a praça ao meu lado direito, onde é possível percepcionar uma luminosidade agradável, está uma temperatura amena e cai uma chuvinha que escorre pela vidraça, vou escrever um pouco sobre sonhos … apenas alguns, daqueles que de utopia não passam evidentemente … só falarei de alguns. Para conferir um carácter ainda mais intenso à ambiência já em si propícia, acendi um incenso (aroma Jasmim da Loja do Gato Preto), que confesso já me estar a provocar uma certa dor de cabeça, grrrrr e acendi três velas que iluminam três cabeças de budas vermelhas. Para dar um toque final reforçando o ambiente que criei e torná-lo num momento só meu, coloquei na aparelhagem um álbum dos Sigur Rós, aquele que é todo branco, não tem título, nada escrito para que, segundo os elementos deste grupo islandês, os fãs possam escrever exactamente aquilo que quiserem no bloquinho interior. Da mesma forma, vou descolar-me por momentos deste planeta massacrado e massacrante e evadir-me momentaneamente de uma realidade, desta realidade e falar dos sonhos que exactamente me apetecer.

 

Sonho 1 – seguindo o raciocínio da minha amiga Suspeita, sonho em não viver em permanente sobressalto com a possibilidade de, cada vez que estou com aqueles que gosto e amo, estar mesmo pela última vez

 

Sonho 2 – sonho também com a possibilidade de apagar o fantasma de sequer imaginar as pessoas que são importantes para mim, ficarem de alguma forma inválidas ou presas sofridamente a uma cama de hospital até ao suspiro final

 

Sonho 3 – sonho em poder viver numa espécie de loteamento estilo vila italiana, onde fosse possível estar com todos aqueles de quem gosto, todos juntos

 

Sonho 4 – sonho em reunir uma vez que fosse, todos aqueles e aquelas que já passaram pela minha vida, juntá-los todos no mesmo espaço e percepcionar à distância que ligações estabeleceriam, como se desencadearia a conversação entre os diferentes elementos

 

Sonho 5 – sonho em ter a oportunidade de conhecer, nem que por um momento, a minha mãe … sentir o seu abraço e percepcionar o seu sorriso e o seu olhar e segredar-me ao ouvido que não tenho nada a temer e que um dia me poderei juntar à sua companhia … para depois desaparecer para sempre

 

Sonho 6 – sonho em abrir uma porta imensa e sentir-me invadido por uma luz radiosa, um Sol acolhedor, com uma escadaria imensa à minha frente sobre um relvado fresco que fosse desembocar a um lago calmo, tranquilo, translúcido em redor do qual brincassem crianças e animais, conversassem serenamente outras pessoas … todos efectivamente felizes, saudáveis, com tempo para rirem, se olharem, se tocarem (esta é a minha vertente Jeová … embora não acredite nela atenção!)

 

Sonho 7 – sonho em não ter de andar a correr contra o tempo, um tempo que flui inexoravelmente

 

Sonho 8 – sonho em não ter de acordar para ser bombardeado de manhã à noite com notícias de mortes, atentados, violência contra semelhantes e outros animais, fome que grassa, enfermidade, pobreza, violação, tortura, corrupção dos líderes, crime organizado ou, como ainda hoje mal acordei, com a novidade quase proferida bombasticamente como se de algo bom se tratasse, de que, ontem foi batido o record do número de acidentes de viação em Portugal, cerca de 580 num só dia, excelente! … por favor poupem-me.

É de salientar que este sonho não é extensível à ministra da educação e respectivo secretário, ao primeiro – ministro, à restante comitiva e à generalidade dos deputados, gestores, administradores e dirigentes desportivos, … bem como, ao Bush. Esses seres não estão abrangidos pelos meus bons sonhos, que se note!!!

 

Sonho 9 – sonho em que o Homem deixe de ter a pretensão de que o que de bom lhe acontece derive de mão divina. Só agora pereceram cerca de 10 000 pessoas no Bangladesh, muitos deles já antes e irremediavelmente  pobres … coitados, o valor do bem Vida para estes deve ser menos valioso do que para outros … Deus não lhes estendeu a mão

 

Sonho 10 – sonho em que o Homem valorize o que é realmente de valorizar

 

Sonho 11 – (descendo à Terra porque não me cabe resolver os males do mundo), sonho em poder viajar pelo mundo, conhecer outras realidades diferentes da minha, sentir outras formas de percepcionar a vida, contactar com outras gentes, outras culturas, outros odores e aromas e com tudo isso, enriquecer pessoalmente e perspectivar o mundo de outros ângulos, mas com conhecimento in loco dessas realidades

 

 

 

 

 

…. E chega de sonhos por agora …

a chuva acalmou … vou então partilhar um dos mais belos sonhos que já tive e mais de uma vez, estranhamente o mesmo.

 

Observei-me a mim próprio reanimando numa pequena canoa que, se aproximava calmamente da costa de uma ilhota, num mar sereno e batido por um Sol imenso. A canoa parou naturalmente, como se por si própria soubesse que era ali o local. No mesmo instante saltei da canoa e deambulei um pouco pela praia, antes de penetrar pelo interior arborizado da ilha. Apercebo-me da particularidade da ilha, muito diferente de todas as ilhas que já havia visto ou imaginado. A ilha estava absolutamente repleta de árvores enormes, frondosas, bastante altas mas de uma serenidade apelativa; completamente repletas de cachos de flores brancas que sistematicamente caíam como se de penas se tratasse, deixando um maravilhoso aroma adocicado na atmosfera embriagante. Senti-me envolto de uma felicidade fervorosa, de uma total paz interior e quase instintivamente sigo por um caminho de terra batida bordejado por um fofinho estrato herbáceo. Enquanto caminho, olho atentamente em redor e confirmo a grandiosidade daqueles seres vegetais que me acompanham no percurso parecendo dar-me as boas vindas e recebendo-me como se tivesse sido sempre ali o meu lugar, celebrando essa esperada chegada com o aroma libertado e os cachos de flores que entretanto, quase como uma chuvinha de prata, se espalham na atmosfera de toda a pequena ilha. Ao longe avisto uma casa em pedra com um ar bem rústico, uma pequena casa no meio do arvoredo, onde termina o caminho que sigo. Sei que é para lá que devo dirigir-me e ansiosamente acelero o passo. A uns metros de alcançar o objectivo, acordo mais uma vez … mas não consigo irritar-me porque estou tranquilo.

 

                                                                                                                   Brama  

   

 

 

 
 
música: Sigur Rós - Njosnavelin
tags:

publicado por Brama às 12:24
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
|
Domingo, 18 de Novembro de 2007

A Arte de segurar uma Arma

 

 


publicado por Brama às 17:54
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|

Milla Jovovich - The Resident Good

Nascida Milisa Natasa Jovovic, na cidade de Kiev, capital da actual Ucrânia, a 17 de Dezembro de 1975, filha de um médico sérvio (Mogdanovitch Jovovic) e de uma actriz soviética (Galina Loginova), é actriz, modelo, designer de moda ... parece que também cantora (parte que, penso dispensável) e uma  grande boazona, plena de interessantes atributos, não fosse a rapariga do leste europeu.

 

 

 

 

 

 

E em tempos da Lagoa Azul ... uma bonequinha linda demais

 

 

 Gentlemen Who Fell

 

 

 

sinto-me:
música: Gentlemen who fell

publicado por Brama às 17:09
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

The Resident Evil III - The extincton

Filme de Russell Mulchay, terceiro da trilogia (?!) se é que não continua (pelo final estou em crer que continuará), decorre vários anos após os incidentes de Raccoon City, num tempo em que o T-vírus escapou ao controlo da Umbrella corporation e se disseminou por quase todo o planeta. Os poucos sobreviventes vivem tempos muito complicados, em que tentam sobreviver diariamente à catástrofe. Aqui, Alice (Milla Jovovich), junta-se a um grupo de sobreviventes e incentiva-os a atravessar o deserto do Nevada, passando por Las Vegas, local mais próximo para se abastecerem de combustível e tentarem chegar ao Estado do Alaska, um dos últimos redutos humanos que parece livre da contaminação. Destaco a cena dos corvos, que adorei.

 Resident Evil atrai-me por vários aspectos, pelas cores, pela música, pela frieza e claro ... pela Milla Jovovich. Apesar de ter gostado, o meu preferido da saga, continua a ser o segundo - Resident Evil: Apocalipse.

 

                                                                                                                                           Brama

 

 

 

 

 

tags:

publicado por Brama às 16:45
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|

A Vida

A Vida é um momento fugaz, como um punhado de areia que se esvai entre os dedos.

 

                                                                                                                                        Brama

música: Skin - Purple

publicado por Brama às 16:40
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

38 Bramanices

1- Alguém te fez rir ontem à noite? Eu próprio

 

2- O que estavas a fazer às 8h da manhã? Ninguém tem nada a ver com isso ... pronto está bem, a stressar para sair de casa, entro todos os dias às 8h10.

 

3- O que estavas a fazer há 30 minutos atrás? Parti uma meloa ao meio, numa das metades introduzi uma porção simpática de pedacinhos de abacaxi e comi avidamente, delicioso. Que raio de cuscuvilhice este questionário.

 

4- O que te aconteceu em 2007? Assim de repente não me lembro, mas mais coisas más que boas seguramente.

 

5- O que foi a última coisa que disseste? "Não tenho trocos.", em resposta à rapariga da caixa de supermercado, há muitas horas atrás.

 

6- Quantas bebidas bebeste hoje? Água, café com leite, café e sumo de goiaba maravilhoso

 

7- Qual é a cor do teu pente? O que são? algum fóssil da família dos trilobites?

 

8- Qual foi a última coisa que pagaste? Os referidos víveres no supermercado há umas horas atrás.

 

9- Onde estavas ontem à noite? Depende ... a que horas?!

 

10- Qual é a cor da porta de entrada da tua casa? Castanha

 

11- Onde guardas os teus trocos? Na carteira ou debaixo dos budas em casa

 

12- Como está o tempo hoje? Esteve um Sol acolhedor, mas mais fresco que ontem e alguma nebulosidade também

 

13- Melhor sabor de gelado? Guloso como sou é difícil escolher, todos os de chocolate, côco, rum e passas, ....

 

14- O que te anima na vida? Actualmente quaisquer momentos passados fora da instituição escola, até ir deitar o lixo ao contentor parece-me mais útil. Coisas simples como ouvir uma música agradável, estar com amigos ou família, ver dois cães ou dois gatos a brincar e um campo cheio de girassóis a arder ao Sol são momentos que me animam. E para fugir uma pouco à falsa modéstia, animava-me certamente ter uma casa minimalista com um jardim japonês, viajar duas ou três vezes por ano para destinos esquecidos e assistir sozinho e em primeira fila ao Confessions Tour da Madonna, especialmente preparado para mim.

 

15- Queres cortar o teu cabelo? Que cabelo?! Não há muito já por onde cortar ...

 

16- Tens mais de 25 anos? Infelizmente sim, mas não muito mais.

 

17- Falas muito? Depende de com quem estou, do interesse do tema em discussão, da atenção que os outros depositam no que estou a dizer ... também do momento.

 

18- Vês o O.C.? O que é o O.C.?

 

19- Conheces alguém chamado Steven? Que eu saiba não.

 

20- Inventas as tuas próprias palavras? Por vezes, quando estou com rasgos de criatividade e boa disposição ... o que é raro.

 

21- És uma pessoa invejosa? Claro que não, mas odeio todos os actores portugueses que estão em Goa para rodar uma novela ... "dá deus nozes a quem não tem dentes"

 

22- Diz o nome de um(a) amigo(a) que comece por 'A' Ana

 

23- Diz o nome de um(a) amigo(a) que comece por 'K' Não tenho

 

24- A primeira pessoa na tua lista de chamadas recebidas hoje? Carla, a única

 

25- O que é que o teu último sms diz? "O mesmo te desejo embora não ligue a estas coisas, beijos.", em resposta a uma amiga que me desejou bom dia de S. Martinho ... imagine-se, nunca antes alguém me tinha desejado bom dia de S. Martinho

 

26- Mastigas a palhinha das bebidas? Odeio palhinha nas bebidas

 

27- Tens cabelo encaracolado? Não ...mas na década de 80 tinha uma farta cabeleira negra encarapinhada até aos pés  quando cantava "The Power of Love" da Jennifer Rush. Claro que não ... que disparate

 

28- Para onde vais a seguir? Onde já deveria estar ... na cama para um erguer daqui a umas horas ... super original e absolutamente inovador !!!

 

29- Quem é a pessoa mais mal educada da tua vida? Agora não sei precisar ...

 

30- O que foi a última coisa que comeste? A tal metade de meloa com abacaxi supracitada

 

31- Vais-te casar no futuro? O enxoval está preparado ... só falta o Governo dar o aval. Não, claro que não ... por duas ordens de factor: o Governo não decidiu a permissão do casamento gay contrariamente a outras sociedades mais desenvolvidas; dificilmente alguém seria suficientemente interessante e envolvente que me levasse a cometer semelhante loucura

 

32- Qual foi o melhor filme que viste nas últimas duas semanas? O melhor não sei, mas o último foi o Elizabeth, The Golden Age

 

33- Existe alguém de quem gostes neste momento? Aqueles de quem gosto verdadeiramente, gosto em todos os momentos

 

34- Quando foi a última vez que lavaste a loiça? Há umas três horas  talvez

 

35 - Estás deprimido neste momento? Demasiado ensonado para estar deprimido

 

36- Choraste hoje? Não ... não vi a Ministra Lurdecas educativa na televisão ... nem a Socratina

 

37- Porque respondeste a este questionário? Porque sou parvo e irresponsável e deveria estar neste momento a ultimar a papelada e o PCT para a reunião intercalar, grrrrrr

 

38- Etiqueta 5 pessoas para responder a este questionário:

 

Não , peço desculpa mas não me apetece ... vá ... já chega por hoje ... não vou falar mais, e chega de luzes e fotos, ok? Obrigado

 

 


publicado por Brama às 23:09
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
|

PurpleSkin

música: Skin - Purple

publicado por Brama às 23:03
link do post | comentar | favorito
|

Secretly

I'VE BEEN BIDING MY TIME,
BEEN SO SUBTLY KIND,
I GOT TO THINK SO SELFISHLY,
'COS YOU'RE THE FACE INSIDE OF ME.

I'VE BEEN BIDING MY DAYS,
U SEE EVIDENTLY IT PAYS,
I'VE BEEN A FRIEND,
WITH UNBIASED VIEWS,
THEN SECRETLY LUST AFTER YOU.

SO NOW HE'S GONE RUSTY
YOU'RE BORED AND BEMUSED.

YOU WANNA DO SOMEONE ELSE,
SO YOU SHOULD BE BY YOURSELF,
INSTEAD OF HERE WITH ME,

SECRETLY.

TRYING HARD TO THINK PURE,
BLOODY HARD WHEN I'M RAW,
YOU TALKING OUT SO SEXUALLY,
'BOUT BOYS 'N GIRLS AND YOUR FRIGGIN' DREAMS

SO NOW YOU FEEL LUSTY,
YOU'RE HOT AND CONFUSED,
SO NOW YOU'VE BEEN BUSTED,
YOU'RE CAUGHT FEELING USED.

YOU HAD TO DO SOMEONE ELSE,
YOU SHOULD'VE BEEN BY YOURSELF,
INSTEAD OF HERE WITH ME,

SECRETLY,

SECRETLY.

 
sinto-me:
música: Skunk Anansie - Secretly

publicado por Brama às 21:31
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Domingo, 11 de Novembro de 2007

H - Mito 4 (Adopção!)

 

Saltei propositadamente a questão Casamento, porque não me apetece falar nela, faz-me confusão e sérias comichões que não esteja garantida a todos os seres que, por uma razão ou outra se amam e por azar do destino, naturalmente o sentiram por alguém que tem o mesmo sexo. Afinal a base do casamento, que o sustenta, não é o Amor? Ou será que esse Amor se subjaz obrigatoriamente ao que as pessoas têm entre as pernas?!

 

Em relação à Adopção, nenhum argumento utilizado até ao momento sustenta cabalmente o impedimento de um casal homossexual adoptar e dar amor, carinho educação e atenção a uma criança. Os que contestam a adopção por parte de um casal homossexual sustentam a ideia em questões que, diria de somenos importância face à urgência de uma criança ter um lar e amor. Por um lado, apresentam-nos o modelo da Família tradicional, tão incomum nos dias que correm, como plataforma única de educação normal e equilibrada de uma criança. Um único molde em que a criança dispõe do modelo masculino (o Pai) e feminino (a Mãe), fundamentais para o seu correcto processo de crescimento e desenvolvimento pessoal. Esta postura é duplamente falaciosa, primeiro porque não parece estar largamente comprovada que a adopção por um casal homossexual possa ser impeditiva do normal e harmonioso desenvolvimento da criança e depois, porque a ideia da Família tradicional com a representatividade do pai, da mãe, da idêntica dedicação dos dois na educação, num ambiente, calmo, tranquilo, educado, harmonioso, equilibrado é apenas uma miragem probabilística ... são poucas, muito poucas as crianças que têm o privilégio de beneficiar de um ambiente nestes moldes. Temos as crianças que por força das circunstâncias, por falecimento de um dos pais, por divórcio e separação, por ausência sistemática de um deles ou dos dois, por viverem num ambiente familiar de permanente instabilidade e até de violência doméstica e só para citar alguns exemplos, também nunca conheceram a tal harmonia, a tal serenidade, o tal ambiente de amor, de atenção, de afecto, de calorosa e confortável tranquilidade para o desenvolvimento de todas as suas potencialidades, nunca sentiram em todo o seu processo de crescimento a tal adoração e idolatração pelo modelo paterno ou materno orientador, por este simplesmente não existir, ou por sentirem não ser um verdadeiro modelo, aquele que lhes daria a tal confiança, a tal atenção. Para manter a linha de mesquinhez hipócrita e sem querer entrar em comparações, o Estado deveria ter a obrigação de atender a todas estas situações,  mostrando idêntica empatia e preocupação, como mostra para com a adopção por casais homossexuais no percurso da criança. Sejamos honestos, existem muitos homossexuais bem mais válidos que muitos e muitos heterossexuais, na capacidade de criar e amar uma criança verdadeiramente e evidentemente esta questão não passa pela orientação sexual de cada um, é uma questão de respeito pelas pessoas e pelos seus direitos, não pelos sexos ou sexualidades.

Além desta lamentável demonstração clara a patética de atestado de incapacidade e insanidade para um casal homossexual adoptar uma criança, surgem outras ideias igualmente brilhantes associadas e que, na melhor das hipóteses expõem a maldade e a hipocrisia humana de quem lidera e da carneirada humana instruída segundo um código de conduta convencionada social ou religiosamente, que segue taxativamente desde tempos esquecidos, sem nunca ter respondido às verdadeiras prioridades humanas ou, na pior das hipóteses, certifica um estádio de irremediável imaturidade novamente de quem lidera e de quem segue, de uma Sociedade que se recusa a acompanhar a realidade dos dias actuais e se confina a uma observância primária da sexualidade como algo jocoso, motivo de gozação. Com esta análise preambular, pretendo referir-me a dois argumentos tão estúpidos quanto tristes. Primeiro, a ideia de que a criança poderá sofrer represálias na Escola, ser alvo de gozação pelos colegas quando estes se derem conta de que essa mesma criança vive e é criada por dois pais ou duas mães. O que responder com alguma obrigatoriedade de manter a coerência, a uma observação destas? Sim, o que dizer sem ofender, mantendo um nível mínimo de educação? Talvez que é a Soceidade que está doente, terrivelmente enferma, que é ela que urge mudar e rapidamente, adaptando-se a integrar todos de igual forma, que um casal homossexual não tem de ser privado em todo o seu desenvolvimento pessoal por uma limitação social de que não é responsável directo, que a criança é educada e criada por duas pessoas, sim, duas pessoas, pais ou mães, que acima de tudo decidiram recebê-la e amá-la preenchendo uma vazio de que esta carecia e que isso é algo de valorizar, respeitar e enobrecer e não motivo de qualquer tipo de risada mais ou menos bem disposta e depreciativa. "Mas a criança não tem culpa e será alvo de provocação" ... dirão outros, ou ainda, " A Sociedade não está ainda preparada para aceitar estas mudanças". A esses, primeiro há que esclarecer que, a Sociedade nâo tem de aceitar ou deixar de aceitar coisa alguma ou excluir quem quer que seja, pois ela é exactamente composta de diversidade e uma Sociedade desenvolvida e respeitadora deverá saber integrar todos em igualdade de circunstâncias, anulando quaisquer tipos de discriminação. Em segundo lugar, a História do Homem tem mostrado desde sempre que a Sociedade não está nem nunca estará preparada para qualquer mudança, enquanto esta não tiver lugar e se tornar numa prática corrente como qualquer outra o que, por norma só acontece a pulso ou pela coragem de quem inicia e que, contra tudo e todos abre o caminho que os seguintes mais comodamente trilharão. Tem sido assim sempre e então, numa Sociedade comodista dos supostos "bons costumes" como é a portuguesa, nada muda mesmo se não for a pulso e com determinação do que é correcto, do que está certo e justo. Portanto, o argumento de que a criancinha será uma cobaia não tem pernas para andar. Além disso, há tantos casos diversos, por exemplo alguém contesta o facto de uma criança, por ausência de um pai, ser criada por a sua mãe e uma tia na mesma casa?! É absurdo no mínimo, mas pela lógica de serem duas mulheres não deveria ser, ou será que o facto de essas duas senhoras não partilharem o leito do amor muda tudo?! Não está aqui claramente subjacente um princípio de projectar a homossexualidade de forma maliciosa e pecaminosa reafirmada séculos e séculos pela santa Igreja Católica?! E isso é suficientemente credível que justique que uma criança orfã ou abandonada, por exemplo, se veja privada de um lar, de um amor?! Não existirá nisto tudo uma avaliação muito questionável, mesquinha, redutora, desrespeitadora e absolutamente infeliz?!

Depois temos ainda outra ideia estapafúrdia, mas que até tem laivos de humor, porque absolutamente irreflectida. A ideia afirmada de que uma criança criada e educada por dois gays ou duas lésbicas, facilmente se tornará num homossexual. Convém aqui explicar antecipadamente, caso semelhantes mentes prodigiosas não tenham dado conta, que os milhões de homossexuais existentes pelo mundo fora, foram generalizadamente criados e educados segundo uma conduta heterossexual (não me refiro aos pais, porque muitos de facto não são heterossexuais, refiro-me à conduta) e que, não foi por tal facto que ficaram heterossexuais. Convém também realçar no seguimento desta nota inicial que o convívio com um casal homossexual não torna a criança homossexual, porque não é uma espécie de gripe viral, tipo gripe das aves e não se transmite pelo ar, pela respiração, pelo toque, pelo amor, pela atenção, pelo carinho, pela preocupação, pela dedicação. A criança ao longo do seu processo de crescimento e desenvolvimento pessoal, naturalmente estará capacitada para desenvolver de modo saudável a sua sexualidade seja esta qual for, seguindo os seus próprios impulsos físicos, psicológicos e devidamente acompanhada por um casal que tenha a sua guarda. E se por mero acaso, a criança tiver, em adulto, uma conduta homossexual, isso também não significa que derive da educação, é que algumas crianças vão mesmo ser homossexuais, é uma característica como outra qualquer, não é nenhuma incapacidade e só representa handicap, porque a sociedade assim o decidiu. Como tal, não tem de ser um drama, ou será preferível uma criança nunca chegar a conhecer um afecto, uma receptividade, um acolhimento, para não correr o "risco", socialmente decidido e imposto, de ser ou não homossexual?!

 

                                                                                                                                                Brama


publicado por Brama às 23:32
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

Sinéad O'Connor - You do Something to Me

Sung by Sinead O'Connor as a
tribute to Cole Porter to benefit
AIDS research and relief
---------------------------------
you do something to me
something that simply mystifies me
tell me, why should it be
you have the power to hypnotize me?
let me live 'neath your spell
do do that voodoo that you do so well
for you do something to me
that nobody else can do
let me live 'neath your spell
do do that voodoo that you do so well
for you do something to me
that nobody else can do
that nobody else can do

 
música: sinéad O'Connor - You do something to me

publicado por Brama às 14:34
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Lembram-se?

Neneh Cherry - I've got you under my skin
O que eu adorava esta música ... 
música: Neneh Cherry - I've got you under my skin
tags:

publicado por Brama às 14:27
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Frida Khalo - Alcoba Azul

A cena que mais gosto do filme "Frida" de Julie Taymor, de uma belíssima sensualidade. 

 

 

 

sinto-me:
música: Alcoba Azul - Frida soundtrack
tags:

publicado por Brama às 14:13
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Elizabeth - The Golden Age

Na minha opinião, mais que um thriller épico ou histórico,  "Elizabeth - The Golden Age" do realizador indiano Shekhar Kapur, é sobretudo um filme melodramático porque, além dos factos históricos documentados, são sentimentos fortes e reprimidos, amor ardente, traição, ódio, raiva, angústia, revolta, que ali se evidenciam. Mais do que a batalha travada entre a armada espanhola e a inglesa, que marca o início de uma época de ouro e de hegemonia para o império britânico, o séc. XVII, o argumento centra as suas atenções na relação entre Elizabeth, The Virgin Queen e o aventureiro Sir Walter Raleigh. O filme ganha principalmente e mais uma vez pela presença de Cate Blanchet como Rainha, que enobrece até o pior argumento e pela fotografia. Há momentos no filme de incontornável beleza visual.

 

                                                                                                                                  Brama 

 

                                                

Cate Blanchett as Queen Elizabeth I in Universal Pictures' Elizabeth: The Golden AgeCate Blanchett as Queen Elizabeth I in Universal Pictures' Elizabeth: The Golden Age

                                                                                              

música: Alcoba Azul - Frida Khalo soundtrack
tags:

publicado por Brama às 13:40
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Teignmouth

 
música: Patrick Wolf - Teignmouth

publicado por Brama às 13:35
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Patrick Wolf - The Libertine

The motorway won't take a horse
The wanderer has found a course to follow
The traveller unpacked his bags for the last time
The troubadour cut off his hand and now he wants mine

Oh no, not me.

The circus girl fell off her horse and now she's paralysed
The hitchiker was bound and gagged, raped on the roadside
The libertine is locked in jail
The pirate sunk and broke his sail

But I still have to go
I've got to go, so here i go
I'm going to run the risk of being free

The magicians secrets all revealed
And the preachers lies are all concealed
And all our heroes lack any conviction
They shout through the bars of cliche and addiction

So i've got to go
I've got to go, so here i go
I'm going to run the risk of being free

And in this drought of truth and invention
Whoever shouts the loudest gets the most attention
So we pass the mic and they've got nothing to say except:
"Bow down, bow down, bow down to your god"
Then we hit the floor
And make ourselves and idol to bow before,

Well i can't
And i wont
Bow down
Anymore.

No more
música: Patrick Wolf - The Libertine

publicado por Brama às 13:21
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Texas in Paris

Nunca liguei muito a este grupo, mas vi um dvd de um concerto em Paris, baratito e assaltado de uma grande curiosidade, comprei e ouvi. Gosto da voz da vocalista, gostei de algumas músicas, mas não é definitivamente um dos meus grupos de eleição ... ouvem-se e têm a sua piada. Aqui fica uma das preferidas do concerto.

 

Summer Son
música: Texas in Paris
tags:

publicado por Brama às 11:18
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sexta-feira, 9 de Novembro de 2007

Taxidermia - Não aconselhável a ninguém

Termo grego que significa "dar forma à pele", é no fundo "a arte de montar ou produzir animais para exibição ou estudo, isto é, a técnica de preservação da forma da pele, planos e tamanhos dos animais" (Hidasi Filho, J., 1976). O mesmo será dizer que tem a ver com a prática de embalsamamento de animais e ... no caso deste filme, também de humanos. Este filme húngaro, do realizador Gyorgy Pálfi, que acabei de ver à meia horinha no cinema, tem uma estética que poderá caracterizar-se com quatro adjectivos transversais: sórdido, nojento, bizarro e grotesco. E para quem acha asquerosos filmes como por exemplo o Delicatessen, há que esclarecer que esse perto deste, é uma ingénua brincadeira de criança. O filme baseia-se em três histórias geracionais, de um avô, um pai e um neto, ligadas de alguma forma entre si. O avô é um sombrio assistente hospitalar durante a Segunda Guerra Mundial; o pai procura sucesso (na era pós-soviética), como atleta de alto nível; o neto é um taxidermista submisso, de franzina e desagradável aparência, que tem uma ânsia pela imortalidade. Algumas das cenas são merecedoras de um prémio de honra por seguramente serem das mais nojentas da história do Cinema: a matança do porco, os momentos de delicioso delírio dos concursos de devoração de quilos e quilos de comida ... e as cenas finais que não consegui acompanhar na íntegra por me terem revolvido indelevelmente as entranhas. No final do filme, comentei naturalmente com o porteiro "este filme é uma verdadeira prova de resistência humana", ao que respondeu " e de apetite".

Por falar em apetite, se alguém tiver intenção de ver este filme, jamais o faça após agradável e composta refeição.

 

                                                                                                                           Brama

 

 

 

sinto-me:
tags:

publicado por Brama às 00:04
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Quinta-feira, 8 de Novembro de 2007

Já não entendo nada ...

Um estudo britânico vem demonstrar que a vitamina D retarda o envelhecimento e ajuda a proteger contra determinadas doenças. Esta vitamina D é facilmente conseguida no Verão pelo próprio metabolismo e a sua reacção à exposição solar; no Inverno, dado o menor número de horas de Sol, esta é conseguida através da ingestão de alguns alimentos, nomeadamente peixe, como a cavala, a sardinha ou o salmão ou também da carne, leite, ovos e manteiga, mas em menor quantidade. Este estudo levado a cabo por um grupo de cientistas do King's College de Londres, utilizando uma amostra alargada de mulheres entre os 18 e os 79 anos, mostrou que as que dispunham de menores níveis de vitamina D, apresentam sintomas de um maior envelhecimento chegando a diferença a ser de uns cinco anos de normal envelhecimento para a mesma idade.

 

Agora em que é que ficamos? Afinal a exposição prolongada aos raios solares não aumenta a probabilidade de contrair cancro de pele e envelhecimento desta?! Raios que ninguém se entende!!!

Pois eu acho que as mulheres de leste, russas e ucranianas parecem mais jovens e com uma melhor pele do que as do Sul que apanham praia que se desunham. Bah!

 

                                                                                                                                              Brama

 

sinto-me:
música: Nitin Sawhney - Displacing the priest

publicado por Brama às 19:05
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Sodade e Ausencia!

Apeteceu-me recordar aquela que gosta de cantar descalça para sentir o contacto com a Mãe Terra. Directamente de Mindelo,  com muita Soooodade, a rainha da Morna Cesária Évora.

Cesária Évora conquistou em 2004 o Grammy para o melhor álbum de world music contemporânea.

 

Ausencia de Goran Bregovic (performed by Cesária Évora)
 

 

música: Cesária Évora & Goran Bregovic

publicado por Brama às 15:36
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

Petição contra a mutilação genital feminina

Por favor assinem a seguinte petição. Este crime bárbaro, teima em não desaparecer, em nome de uma realidade cultural muito discutível.

 

http://www.respect-ev.org/index.php


publicado por Brama às 01:02
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Quarta-feira, 7 de Novembro de 2007

Sridevi, antes e agora

Umas das melhores bailarinas de Bollywood, a actriz Sridevi nascida em Agosto de 1963 em Sivakasi no estado de Tamil Nadu (sul da Índia), conta agora com 44 anos. Aqui é possível ver a sua performance da Tandav Nritya Dance do filme Chandni, agora (no Filmfare 2007, espécie de entrega dos Óscares na Índia) e há quase vinte anos atrás.

 

Acho graça a esta cena seguinte porque me lembro perfeitamente deste filme bollywoodesco.

publicado por Brama às 16:37
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

As Vozes de Ouro de Bollywood

As indiscutíveis Rainhas de Bollywood, Asha Bhosle e Lata Mangeshkar, deram as suas vozes a milhares de músicas e filmes bollywoodescos. Lata Mangeshkar figura no Guiness Book  as "the most recorded singer with 25 000 songs to her credit".

 

 

Asha Bhosle canta a consagrada música "Dum Maro Dum"

do filme Hare Rama Hare Krishna", de 1971

(provavelmente muita gente já ouviu esta música)

 

 
Lata Mangeshkar - Aaye Ga
 
música: Dum Maro Dum & Aaye Ga

publicado por Brama às 15:58
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Terça-feira, 6 de Novembro de 2007

Bramanismos

Pronto, está bem, ok, ok ... não insistam mais por favor ... não gritem, também vou participar nesta brincadeirinha, que vi no blog da suspeita e do hydrargium. Vá lá ...


Olhos: Castanhos, brilhantes e fulminantes!

Cabelos: Castanho escuro, agora mais curto, pente um

Altura: 1,7om (É o que está no B.I., embora eu pense que devo estar favorecido num cm ou dois)

Ascendência: Alentejo exclusivamente (que eu saiba)

Signo: Balança (o melhor claro ou, um dos), segundo me disseram com ascendente Caranguejo. Acerca do ascendente há outras versões, mas como detesto falar de signos e ascendentes é-me indiferente.


Sapatos que estou a usar: Agora umas botas meiooo militares, talvez.

Fraquezas: Música; iguarias bem confeccionadas; doces; passeios surpresa sem rumo, ao sabor da vontade e sem limite de tempo, ...

No mau sentido, nojo absoluto de osgas e baratas, da hipocrisia humana e da mentira (não sei lidar com ela).

 

Medos: Morte e sofrimento das pessoas queridas

Objectivo que gostaria de alcançar: Para não correr o risco de dar a mesma resposta comum e utópica, do género "Ser feliz", talvez ... Não ser infeliz.

Pronto, ok: Saber se após a morte algo existe além de um caixão a 2 metros de profundidade e saber o enigma do Universo.

Frase que mais uso no MSN : Nunca lá vou, não tenho paciência e fico agressivo (à semelhança de 70% dos condutores portugueses, que se transfiguram após entrada na sua viatura)

Melhor parte do corpo: Pronto ... a questão mais difícil, sem querer ser mete-nojo não sei o que responder. As pessoas referem os olhos e algumas os dentes. Eu acho que é mais fácil identificar a pior parte ( a estatura podia ser um pouco maior ...)


Coca Cola ou Pepsi: Coca-cola.


Café ou Capuccino : Café

Fumas: Muito raramente, só em momentos de confraternização.


Palavrões: Era educadíssimo. Tenho aprendido a ser mal educado com os meus alunos e a Ministra da Educação.

Perfume: Há vários que gosto, prefiro os fortes, doces e exóticos.

Canta: De vez em quando um fadinho.

Toma banho todos os dias: Não, adoro feder a mau cheiro ... É obvio!

 

Gostava da escola: Depende ... gostava de ter boas notas e estas eram milimetricamente definidas antes do ano lectivo começar. Era o que se pode designar como um aluno insuportável, que nenhum professor gostava de ter, tinha a mania que era o melhor aluno e de facto era. Era extremamente exigente comigo mesmo e ninguém me aturava porque só queria falar de ciências ocultas, a vida depois da morte e filmes de terror. Gostava de cansar os professores até à exaustão, colocando questões de mínimos pormenores que não ficassem esclarecidos à minúcia, tentando apanhar os professores em pequenas contradições. Em suma, era um chato, mas estou muito, muito melhor.

Acredita em si mesmo: Não sei responder cabalmente a esta questão. Acredito que tenho potencial mas sou extremamente inseguro face aos outros, muito desconfiado porque não acredito nos Homens.

Tem fixação pela saúde: Aqu sou desequilibrado, tão depressa sim como não.

Dá-se bem com os seus pais: No meu caso, a distância também é milagrosa face ao meu pai. Não tenho mãe (faleceu cedo demais).

Gosta de tempestades: Adoro sentir a força bruta da natureza, adoro não só as tempestades. Na verdade, gostaria muito de presenciar um fenómeno de vulcanismo, seria um momento inesquecível e ver um grande tornado.


No último mês...


Bebeu alcoól: Vinho tinto óptimo a acompanhar um igualmente óptimo jantar

Comeu um pacote inteiro de bolachas: Uma caixa de biscoitos tradicionais

Fumou: Neste mês dois cigarros


Sushi: Com o graduated fool e uma amiga ( mas acho que já passou mais de um mês)

Chorou: Quando vi a grande entrevista da Judite de Sousa à nossa Ministra educativa (foi demais!).

 Quando a minha amiga suspeita disse que o "Sem Nome" não resistiu à operação de salvamento.

Quando deixei a minha tia em sua casa absolutamente só, após ter estado o fim-de-semana comigo e sabendo que a sua filha já não lhe pode fazer companhia.

Pintou o cabelo: Não

Roubou: Não

Nº de filhos: Infelizmente não

Como quer morrer: Em grande agonia e após sofrimento longo e doloroso. Detesto artificialidade tal como detesto flores de plástico ou de papel ou ainda, batatas fritas congeladas.


Tatuagens: Gostava de ter uma pelo menos, perpétua e de forte significado.


Quantas vezes o meu nome apareceu no jornal: Não sei, mas julgo que muitas. Além da Lady Di, da Maddie e d'Ela ( Madonna), só eu fiz correr tanta tinta e enchi milhares de manchetes.

Cicatrizes: Nenhuma

Do que se arrepende de ter feito: Definitivamente admito, de ter tirado uma licenciatura em ensino. Arrependo-me mais de algumas coisas que deveria ter feito no tempo certo.

Cor favorita: Na roupa, preto e verde seco. Nos interiores, preto, castanho escuro, branco, vermelho e laranja. Nos automóveis, cinza. Em geral, vermelho intenso, verde água, laranja fogo.

Disciplina favorita na escola: Todas menos Ed. Física, Trabalhos Manuais e Francês.


Um lugar onde nunca esteve e gostaria de estar: Não consigo responder ... pronto, definitivamente não no Afeganistão.

Matutino ou Nocturno: Nocturno


O que tenho nos bolsos: Lenços de papel e chaves

Em 10 anos imagino-me: Uma de duas versões:

1- Preso num estabelecimento prisional, após ter cometido acto sério e grave e mais não digo ...

2 - Interiormente rico, após estar a viver uma semana com uma tribo himba na Namíbia; palmilhado 5th avenue de trás para a frente e dar uma espreitadela no Grand Canyon; calcorreado a tundra e os vulcões islandeses; também Machu Picchu claro;deambulado horas por Angkor Wat; percorrido de uma ponta à outra a ilha sul da Nova Zelândia; permanecido um mês em meditação budista na cidade de Lhasa; orado junto ao arenito vermelho de devoção do povo aborígene no interior australiano,; visionado Buenos aires, as pampas argentinas e a Terra do Fogo; percorrido o eixo da cultura europeu; viajado no shikansen japonês e finalmente pernoitado em frente ao taj Mahal.

PS: Com o ordenado de professor, penso que a 1ª versão é mais provável

 

 

 

 

 


publicado por Brama às 17:14
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 4 seguidores

.pesquisar

 

.Julho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. SIA Lentil

. Crato no "Mundo Perdido" ...

. Crato no "Mundo Perdido" ...

. Crato no "Mundo Perdido" ...

. Sem "papas na língua", co...

. Heartbeat Educação

. Que seria de nós sem um G...

. Como estamos em Ditadura ...

. Born Free

. MDNA, in full conviction!

. Cheikh N`Digel Lô e MDNA

. É assim que Shanghai pens...

. Aziza Mustafa Zadeh

. O tempo é escasso

. Só para relaxar um pouco ...

. Mulher que mata qualquer ...

. She give me money ... whe...

. Ainda estou vivo

. Because of You ...

. Inté

.arquivos

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Junho 2012

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Setembro 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.tags

. todas as tags

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds